Direção da APAE de Carmo do Paranaíba renuncia e pais de alunos denunciam precariedade


A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Carmo do Paranaíba está passando por momentos conturbados, e com isso, os alunos que frequentam o local correm sérios riscos de ficarem sem aulas. A situação que ultimamente já era muito ruim, segundo pais de alunos, ficou ainda pior com os pedidos de demissões da diretoria da instituição, que ocorreu nesta terça-feira (12/03). Atualmente são assistidos pela APAE da cidade 278 alunos portadores de necessidades especiais.

De acordo com relatos de uma mãe de aluno, a diretoria teria deixado a APAE, principalmente, devido ao estado precário em que se encontra a associação da cidade. O fato que causou ainda mais indignação aos pais de alunos é que a APAE não tem no momento condição de receber os assistidos. Para ter uma noção da situação atual do local, até o ônibus usado para transportar os alunos está sem combustível já a partir desta quinta-feira (14). A cantina está sem mantimentos para preparar as refeições e não há dinheiro algum em caixa.
 
Inconformados e sem saber o que fazer com o caos que a APAE de Carmo do Paranaíba está passando, os pais dos alunos solicitaram a presença de representantes da federação das APAE’s, que deverão chegar à cidade nesta quinta (14), para tomar conhecimento da situação e tentar encontrar uma solução para o problema. A mãe de uma criança que estuda na APAE em conversa com nossa reportagem contou que os pais dos alunos chegaram a fazer um abaixo assinado, na tentativa de afastar a diretora da instituição anteriormente.
A mulher disse que a situação que se encontra a APAE da cidade é um problema que vem se alastrando há vários anos, mas somente a partir de novembro de 2018 foi que a situação se tornou insustentável. Ela contou que até os cavalos usados na equiterapia teriam sido vendidos sem nenhum tipo de explicação sobre o motivo. Os pais pediram então um balanço para o presidente da instituição, mas o pedido foi negado. Outra preocupação é a falta de estrutura interna da APAE, sendo que no local não possui mesas e cadeiras para os alunos. Eles estão sendo obrigados a fazerem suas refeições em pé ou sentados não chão.
O repórter Júlio César conversou com o prefeito de Carmo do Paranaíba Dr. César, que ressaltou que a prefeitura chegou a se comprometer a repassar um valor inicial de 10 mil reais mensais para APAE, mas como o presidente da instituição, o senhor Paulo Soares Moreira, que inclusive comunicou através de nota nesta terça-feira (12), seu desligamento da APAE, não conseguiu apresentar os relatórios necessários para receber o dinheiro, sendo que nenhum valor foi depositado na conta da instituição.
Por último, o prefeito contou que pais de alunos estiveram na prefeitura e fizeram um apelo ao chefe do executivo para que disponibilizasse 1 veículo para realizar o transporte dos alunos, uma vez que a APAE não possui combustível para abastecer o ônibus que realiza o transporte deles. Dr. César contou que colocou um ônibus da prefeitura municipal à disposição dos alunos. O serviço será oferecido inicialmente até a próxima semana. Ele disse que pretende aguardar a escolha da nova diretora para saber quais atitudes tomar sobre alguma forma de ajudar a APAE da cidade.
Além do presidente Paulo Soares Moreira, renunciaram aos cargos na APAE de Carmo do Paranaíba, a diretora Karina R. Faria e a vice-diretora Maria de Lourdes Silva Rodrigues.
A instituição fica situada na Avenida Tancredo Neves 2716, no Bairro Alvorada.
Fonte: Tô na mídia CP
COMPARTILHAR
Um site de notícias de Rio Paranaíba e região com precisão e responsabilidade.